“Eu lhes tenho dado a tua Palavra” (Jo 17.1-26) (5)

2. Revela-nos a natureza de Deus (6-8)

Deus, livre e soberanamente, se dá a conhecer a nós. Por meio da Palavra podemos conhecer fidedignamente a Deus, os seus atos e as suas reivindicações.

A Palavra foi-nos concedida para que a recebamos. Deste modo, creiamos em Deus e nos relacionemos com Ele de modo pessoal e amoroso. Isso explica a tentativa constante por parte dos inimigos de Deus em destruir a Bíblia, lançando dúvidas, ridicularizando-a ou simplesmente a ignorando. No entanto, os discípulos de Cristo a recebem como Palavra de Deus (6,8). Este assunto será desenvolvido mais à frente.

2.1. O Sentido de “Manifestar”

Jesus Cristo em sua oração, diz:

Manifestei (fanero/w)[1] o teu nome (o)/noma) aos homens que me deste do mundo. Eram teus, tu mos confiaste, e eles têm guardado a tua palavra. Agora, eles reconhecem que todas as coisas que me tens dado provêm de ti; porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que saí de ti, e creram que tu me enviaste. (Jo 17.6-8).

Eu lhes fiz conhecer (gnwri/zw) o teu nome(o)/noma) e ainda o farei conhecer (gnwri/zw), a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles esteja. (Jo 17.26).

Ele declara que trouxe à luz, proclamou, publicou o nome de Deus aos discípulos que lhe foram confiados.

2.2. Jesus Cristo como fonte autoritativa e fiel

Quando o Senhor Jesus nos mostra o Pai, não está inventando ou apresentando apenas uma versão alternativa fruto de um contexto específico. Não que uma versão seja mentirosa em si, mas, revela uma perspectiva, ainda que podendo ser verdadeira, porém, limitada do fato ou do objeto.

Jesus Cristo, no entanto, é a Palavra definitiva e final do Pai. É o próprio Deus encarnado.  No batismo de Jesus, o Pai após declarar seu amor pelo filho, diz: “A ele ouvi (a)kou/w) (Mt 17.5). Portanto, Ele é a fonte autoritativa. É o próprio Pai quem credencia publicamente o seu Filho como portador autêntico e completo de sua mensagem.

Os discípulos ouviram a palavra do Pai. Registra Mateus: “Ouvindo-a (a)kou/w) os discípulos, caíram de bruços, tomados de grande medo”(Mt 17.6).

A palavra autoritativa de Jesus gerava sentimentos e reações diferentes e contraditórias. Enquanto, por exemplo, fascinava o povo, era rejeitada com ódio pelos líderes religiosos:

Diariamente, Jesus ensinava no templo; mas os principais sacerdotes, os escribas e os maiorais do povo procuravam eliminá-lo (a)po/llumi) (= matar,[2] assassinar[3]); 48 contudo, não atinavam em como fazê-lo, porque todo o povo, ao ouvi-lo (a)kou/w), ficava dominado por ele. (Lc 19.47-48).

Aqueles que ouviam a respeito de Jesus por intermédio de João Batista, seguiam a Jesus:

34 Pois eu, de fato, vi e tenho testificado que ele é o Filho de Deus. 35 No dia seguinte, estava João outra vez na companhia de dois dos seus discípulos 36 e, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus! 37 Os dois discípulos, ouvindo-o (a)kou/w) dizer isto, seguiram Jesus. 38 E Jesus, voltando-se e vendo que o seguiam, disse-lhes: Que buscais? Disseram-lhe: Rabi (que quer dizer Mestre), onde assistes? 39 Respondeu-lhes: Vinde e vede. Foram, pois, e viram onde Jesus estava morando; e ficaram com ele aquele dia, sendo mais ou menos a hora décima. 40 Era André, o irmão de Simão Pedro, um dos dois que tinham ouvido (a)kou/w) o testemunho de João e seguido Jesus. (Jo 1.34-40).

O Senhor Jesus usou de sua autoridade para cumprir com fidelidade o seu ministério. Por isso mesmo, Ele é fiel em seu testemunho. Deste modo, pôde declarar de modo verdadeiro ao Pai esse aspecto fundamental de seu ministério: “Porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que saí de ti, e creram que tu me enviaste” (Jo 17.8). “Eu lhes tenho dado a Tua palavra” (Jo 17.14).

No Apocalipse, fazendo eco à declaração de Jesus Cristo, Ele é identificado como a fiel testemunha”(Ap 1.5),[4] da parte de quem João fala.

Maringá, 04 de fevereiro de 2020.

Rev. Hermisten Maia Pereira da Costa


[1]O verbo Fanero/w, palavra derivada de (fw=j = “luz”), significa revelar, tornar conhecido, mostrar, manifestar.

[2] Mt 2.13/Mc 11.18.

[3]Lc 11.51.

[4] “E da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados” (Ap 1.5).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *