A riqueza da fecunda graça de Deus e a frutuosidade de uma fé obediente e perseverante (32)

As Escrituras Sagradas nos ensinam que a eleição de Deus não é um ato isolado. O Deus Trino está comprometido intensamente com a concretização desta eleição em santidade até a consumação de sua obra. Em outras palavras, Deus está ativamente interessando em nossa santificação.   A justificação eterna e objetiva, conforme os propósitos de Deus em Cristo, e a justificação Leia mais…

A riqueza da fecunda graça de Deus e a frutuosidade de uma fé obediente e perseverante (30)

O Espírito ora conosco e por nós. Ele, juntamente com Cristo, em esferas diferentes, intercede por nós: “Cristo intercede por nós no céu, e o Espírito Santo na terra. Cristo nosso Santo Cabeça, estando ausente de nós, intercede fora de nós; o Espírito Santo nosso Consolador intercede em nosso próprio coração quando Ele o santifica como Seu templo”, contrasta Kuyper Leia mais…

 A riqueza da fecunda graça de Deus e a frutuosidade de uma fé obediente e perseverante (29)

Outro ponto relevante, é que a oração no Espírito é sempre por intermédio de Cristo. Isto significa que quando oramos, o fazemos por iniciativa do Espírito, por intermédio de Cristo, no nome de Cristo. Portanto, orar genuinamente significa harmonizar a nossa vontade com a do Filho, alinhando a nossa vontade com a dele.[1] Orar ao Pai não significa simplesmente usar Leia mais…

A riqueza da fecunda graça de Deus e a frutuosidade de uma fé obediente e perseverante (26)

É necessário que entendamos que a doutrina da justificação não é uma fraude, como se Deus considerasse justo o que não é justo, fazendo vista grossa à condição humana de pecado e depravação. Contudo, se não somos justos, como Deus, então, nos declara justos? Nesta doutrina nos deparamos com o absoluto padrão de Deus e a realidade da aplicação de Leia mais…

A riqueza da fecunda graça de Deus e a frutuosidade de uma fé obediente e perseverante (25)

  6.5. Justificação   O Evangelho demonstra como um Deus justo pode justificar aos pecadores crentes. – J.I. Packer.[1]   Somos declarados justos pela justiça de Cristo. A justificação nos transfere de uma condição de condenado para a de herdeiro de Deus (Jo 3.18; At 13.39; Rm 3.28,30; 5.1; Gl 2.16; 3.24/Rm 8.1,7).[2] Sem a revelação bíblica isso seria inimaginável Leia mais…

A riqueza da fecunda graça de Deus e a frutuosidade de uma fé obediente e perseverante (24)

Mesmo no Antigo Testamento, os patriarcas, os profetas e o povo em geral foram perdoados, não porque ofereceram sacrifícios, mas sim, pela fé no Cristo que viria. As ofertas quando apresentadas como ato sincero de obediência a Deus eram aceitas como expressões de fé. A obra de Cristo envolve todos os crentes: todos os fiéis do passado, presente e futuro.[1] Leia mais…