choro bem aventurado

O Choro Bem-Aventurado: Uma emoção Contracultural (Mt 5.4) (1)

A tristeza que domina a mente facilmente segue sua rota rumo aos olhos, e seguindo essa via concretamente se revela. ‒ João Calvino.[1]

 

Ninguém chega ao reino de Deus sem se entristecer com o seu próprio pecado. ‒ John MacArthur.[2]

 

 

Introdução

 Jesus Cristo, nesta segunda bem-aventurança, surpreende ainda mais aos seus ouvintes. Ele diz que são bem-aventurados os que choram. Temos aqui uma bem-aventurança paradoxal. Contudo, antes que eles pudessem ser induzidos a uma perspectiva equivocada a respeito do choro, Jesus diz que os que choram serão consolados. Deste modo, podemos observar que o Senhor não atribuiu nenhum valor especial e intrínseco ao choro como tal, mas, certamente, nos diz que determinado tipo de choro é bem-aventurado por causa do que ele reflete. Neste choro, seremos consolados.

 

1. Diversos termos

O Novo Testamento emprega diversas expressões que retratam a dor, angústia e choro humano.

 

  • brugmo/j e bru/xw: Ainda que no grego clássico as palavras sejam também usadas, por exemplo, para o “ato de comer de modo barulhento”,[3] no Novo Testamento tem o sentido de rilhar, ranger os dentes, denotando raiva intensa (bru/xw) (*At 7.54) e, mais precisamente, intenso sofrimento, sendo usado especificamente por Jesus Cristo para falar do destino dos incrédulos (brugmo/j) (*Mt 8.12; 13.42,50; 22.13; 24.51; 25.30; Lc 13.28).
  • Da/kru, da/kruon e dakru/w (Jo 11.33): Lágrimas, choro (Lc 7.38,44; At 20.19,31; 2Co 2.4).
  • qrhne/w: Prantear, lamentar, cantar um lamento (*Mt 11.17; Lc 7.32; 23.27; Jo 16.20).
  • Klai/w: Chorar, gritar (Mt 2.18; 26.75; Mc 16.10; Lc 19.41; At 21.13,15).
  • Klauqmo/j: Pranto, choro (Mt 2.18; At 20.37).
  • Ko/ptw e kopeto/j (*At 8.2): Prantear, lamentar. “Ressalta o aspecto do luto público, que se pode manifestar em vários costumes tais como: bater no peito, fazer cortes em si mesmo, lamentar ou cantar endechas fúnebres já existentes”.[4] (*Mt 11.17; 21.8; 24.30; Mc 11.8; Lc 8.52; 23.27; Ap 1.7; 18.9).
  • Lupe/w: Entristecer-se, contristar-se. Envolve a dor física e íntima, estar magoado (Mt 17.23; 18.31; 26.37; 2Co 2.2,4,5; 1Pe 1.6).
  • Lu/ph: Tristeza, dor (Lc 22.45; Jo 16.6,20,21,22).
  • Penqe/w: Chorar, lamentar, prantear, estar triste (*Mt 5.4; 9.15; Mc 16.10; Lc 6.25; 1Co 5.2; 2Co 12.21; Tg 4.9; Ap 18.11,15,19).
  • Pe/nqoj: Pranto, luto (*Tg 4.9; Ap 18.7 (2 vezes),8; 21.4).
  • Stena/zw: Gemer, queixar-se, suspirar (*Mc 7.34; Rm 8.23; 2Co 5.2,4; Hb 13.17; Tg 5.9).
  • Tara/ssw: Na forma figurada e passiva, significa angustiar-se, ficar agitado, alarmado (Lc 24.38; Jo 11.33; 12.27; 13.21; 14.1,27; 1Pe 3.14).

 

No próximo post começaremos a analisar biblicamente algumas razões para a tristeza.

 

Maringá, 01 de fevereiro de 2019.

Rev. Hermisten Maia Pereira da Costa

 


 

[1] João Calvino, O Livro dos Salmos, São Paulo: Paracletos, 1999, v. 1, (Sl 6.7), p. 132-133.

[2] John MacArthur, O Caminho da Felicidade, São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p. 71.

[3] T. McComiskey, Lamentar: In: Colin Brown, ed. ger. O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, São Paulo: Vida Nova, 1981-1983, v. 3, p. 28.

[4] H. Haarbeck, Lamentar: In: Colin Brown, ed. ger. O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, São Paulo: Vida Nova, 1981-1983, v. 3, p. 23.

Um comentário em “O Choro Bem-Aventurado: Uma emoção Contracultural (Mt 5.4) (1)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *